JÀ NO AR (Beta)

JÀ NO AR (Beta)
Clique e assista

sábado, 29 de maio de 2010

Vereador de Marica Uilton Viana agredido




O advogado Antonio Vieira Filho, entrou com petição ao Juiz da 5ª Vara Criminal, requerendo a liberdade provisória do parlamentar. O prefeito de Maricá, Washington Quaquá e os 11 vereadores que compõem a Câmara Municipal, endossaram o pedido, atestando boa conduta do vereador, Uilton Viana Filho (PSB), filho do vice-prefeito de Maricá, que foi solto devendo responder ao processo em liberdade.


O vereador sofreu agressão de policiais que o abordaram na noite do dia 27, quando voltava da Sessão Solene da Câmara Municipal, em comemoração ao aniversário da cidade. ao tenta ultrapassar com seu carro um grupo de motociclistas da Polícia Militar, que estavam paradas interditando parte da pista sentido Niterói.

Os policiais eram os mesmos que estavam vindos do evento, onde momentos antes o Comandante Geral da PM, coronel Mário Sérgio, fora homenageado pelos vereadores, inclusive Uilton Viana Filho.

Conta o vereador, que estava com a namorada e uma amiga, os policiais pediram os documentos do veículo aos gritos e sob ameaça de armas de fogo. Ao reclamar que não era necessário violência, foi jogado ao chão, algemado e agredido.

Segundo a polícia, ele “teria caído após resistir à voz de prisão”.

Para o delegado da 78ª DP, Reginaldo Guilherme da Silva, houve excesso dos dois lados. “Mesmo que tenha havido injúria, existe lei para isso, e a agressão não se justifica”, declarou.

O vereador foi submetido à exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), em Tribobó, e depois à Polinter, em Neves, onde ficou preso.

As fotos foram encaminhadas à 5ª Vara Criminal e provam que houve agressão. Elas mostram com clareza as lesões sofridas pelo acusado, que teve a sua cabeça imprensada no asfalto por um dos policiais.

O Ministério Público vai apurar as responsabilidades. Se for configurado que houve algum tipo de tortura, o quadro poderá ser revertido em favor do acusado.

O caso já saiu do âmbito policial. Agora, a decisão está com a Justiça, que, confiamos, será feita”, comentou o advogado.

Fonte: Jornal Gazeta rj

Nenhum comentário:

Portal Galdinosaqua